Curiosidades | História do Vidro   
   








Na sua forma mais pura, o vidro é um material transparente, relativamente forte, resistente, essencialmente inerte e biologicamente inactivo e pode ser formado com superfícies muito planas e impermeáveis.

Ainda hoje e após séculos de pesquisas, os estudiosos divergem quanto à verdadeira estrutura física do vidro. Será sólido ou líquido?

O comum dos mortais continua a questionar-se como um material pode ser ao mesmo tempo, tão duro quanto frágil, tão firme quanto maleável e tão simples quanto belo.

O vidro está presente no nosso dia a dia e por muitas vezes não percebemos. Ele é unico na natureza, permite ver sem ser visto, é magico, é matéria e ao mesmo tempo invisível.

O vidro ainda continua a guardar mistérios antigos, onde a sua produção ainda tem muito do velho processo alquímico.


COMPOSIÇÃO DO VIDRO:

Sílica - SiO2 - básica - vitrificante.
Soda - Na2O - baixa o ponto de fusão da sílica.
Cálcio - CaO - estabilidade do vidro.
Magnésio - MgO - enriquece a resistência mecânica do vidro.
Alumina - Al2O3 - reforça as resistências do vidro.
Cloreto de Sódio, Nitrato de Sódio, Óxido de Selênio - afinantes.
Óxido de Arsênico (AZUL), Óxido de Ferro (VERDE), Óxido de Selênio (CINZA) - corantes.
Sucatas de vidros - 20% a 40% para fusão.


PROCESSO DE FABRICO:

O vidro é uma substância inorgânica, homogénea e amorfa. Ao chegar aos 800° C, a mistura que compõe o vidro, atinge o estado pastoso e ao atingir 1000º C, entra em ponto de fusão.

Actualmente, existem 4 processos de fabrico, Fourcoult, Pittsburg, Libbey Owens e o Float Glass. Este ultímo é o mais usual, uma vez que não apresenta deformações ou ondulações.


CLASSIFICAÇÃO DOS VIDROS:

-TEMPERADO
É um vidro comum que passa por um processo de têmpera, que estabelece tensões elevadas nas zonas superficiais e correspondentes a altas tensões no centro, (externamente em compressão e internamente em expansão). Este processo confere-lhe uma resistência muito maior ao choque. Depois de temperado, não permite novos processos de cortes, furos ou recortes.

Processo de têmpera:
Antes de iniciar o processo de têmpera, o vidro é devidamente preparado, com os cortes, furos e tamanhos necessários. Em seguida o vidro passa pelo controlo de qualidade, com o objectivo de encontrar possíveis defeitos. Já na fase da têmpera o vidro é aquecido a uma temperatura de cerca de 600º C e logo de imediato sofre um arrefecimento brusco. Este processo cria o estado de tensão no vidro.

Características do vidro Temperado:
Este vidro é considerado um vidro de segurança, uma vez que é não estilhaçavel.
Em caso de quebra o vidro divide-se em fragmentos granulados, não apresentando ângulos cortantes.
A resistência deste vidro é cinco vezes superior ao vidro comum da mesma espessura. É resistente a choques térmicos, mecânicos, flexão e torção. Contudo, o seu manuseamento deve ser feito com cuidado, evitando impactos do vidro com materiais sólidos, uma vez que poderá retirar-lhe parte da sua resistência.

- LAMINADO
Neste processo, através de métodos de colagem, são intercalados um ou mais vidros com PVB butiral. Com este processo o vidro ganha uma elevada resistência aos impactos. Em caso de quebra, o vidro mantem-se no seu lugar.

- ARAMADO
Vidro com uma rede metálica no interior. Antes do processo de fusão é colocada uma rede metálica no vidro.

ASPECTO VISUAL DO VIDRO:
Transparente
Translúcido
Opaco

CORES DO VIDRO:
Incolor
Fumado
Bronze
Verde

UTILIZAÇÕES DOS DIFERENTES TIPOS DE VIDROS:

Vidros ocos: garrafas, frascos, etc.
Vidros planos: mobiliário, janelas, fachadas, automóveis, etc.
Vidros finos: lâmpadas, aparelhos electrónicos, tubos de laboratório, etc.
Vidros curvos: hotelaria, aquários, automóveis, construção civil, etc.

NÍVEIS DE REDUÇÃO DE RUIDO EM FUNÇÃO DA ESPESSURA:

. 3 mm igual a 27 db
. 4 mm igual a 28 db
. 5 mm igual a 29 db
. 6 mm igual a 30 db
. 8 mm igual a 31 db
. 10 mm igual a 31 db
. 12 mm igual a 32 db
 
Voltar ao início da página
Untitled Document